segunda-feira, 5 de julho de 2010

Minha avaliação (subjetiva, claro) dos candidatos

Considerarei apenas os três principais: Dilma Rousseff, Marina Silva e José Serra. O quadro geral está logo abaixo, mais abaixo ainda, algumas explicações.



A avaliação vai de (---) muito ruim a (+++) muito boa, (0) é neutra.

História:
principalmente o aspecto da história de vida.
*Dilma - economista, mineira, foi militante de grupo armado contra a Ditadura (Colina e Var-Palmares, nega que tenha participado de ações armadas), vítima de tortura, fez carreira no RS, fundou o PDT (filiou-se ao PT em 2001), foi secretária municipal da Fazenda de Porto Alegre, secretária estadual de Minas e Energia do RS, ministra de Minas e Energia e ministra da Casa Civil. (+)
*Marina - pedagoga, acreana, alfabetizou-se já adulta, formou-se em História (UFAC), fez pós-graduação em psicopedagogia, fundou a CUT, atuou ao lado de Chico Mendes no sindicalismo, filiou-se ao PT em 1986 (mudando-se para o PV em 2009 para ser candidata à presidência da república), vereadora de Rio Branco (abandonou o cargo para concorrer à Assembléia estadual), deputada estadual, senadora, ministra do Meio Ambiente. (++)
*Serra - sem formação (iniciou engenharia na Poli, fez cursos de economia no Chile e doutorado de economia nos EUA), paulista, foi presidente da UNE, exilou-se no Chile e depois nos EUA durante a Ditadura, fundou o PSDB juntamente com grupo dissidente do PMDB, secretário estadual de Planejamento de SP, deputado federal constituinte, senador, ministro de Planejamento e ministro da Saúde, prefeito de São Paulo (abandonou o cargo para concorrer ao governo do estado) e governador de SP. (+)

Os três têm um histórico de vida bonito. Mas Marina Silva apresenta, opinião minha, uma história pessoal de maior superação da dificuldade inicial (com todo o respeito aos sofrimentos psicológicos e físicos sofridos por Dilma Rousseff na mão dos policiais).

Honestidade: Ficha criminal, mentiras, quebras de promessas, corrupção...
*Dilma: Houve escândalos como a acusação da ex-diretora da Anac Denise Abreu denunciando favorecimento, por parte de Dilma, na venda da Varig; acusação pela Folha de São Paulo, de montar um dossiê contra FHC sobre gastos pessoais irregulares e publicação, pela mesma Folha de São Paulo, de uma ficha falsa da ex-ministra no DOPS segundo a qual ela teria participado de ações armadas durante a Ditadura; ainda a Folha denuncia que o comitê de campanha da Dilma pretendia montar um dossiê contra Serra - nenhuma dessas acusações foi comprovada. Houve um erro em seu currículo Lattes em que dizia ter concluído o doutorado na Unicamp (ela não chegou a entregar a tese final), em sua página pessoal também houve um erro com a publicação de foto da atriz Norma Bengel em meio às suas. As acusações não contam por não se ter provado nenhuma delas, ao menos por enquanto. Os erros no currículo e no uso da foto da atriz não são grandes coisas. (-)
*Marina: Não há, por enquanto, nenhuma denúncia ou acusação desabonadora. (+)
*Serra: Sua filha, Verônica Serra, é tida como sócia da irmã de Daniel Dantas; acusam-no também de pedir cabeça de jornalistas que publicam matérias desfavoráveis; o jornalista Paulo Henrique Amorim, afirma que a Operação Lunus, que inviabilizou a candidatura de Roseana Sarney em 2002, teria sido armação de Serra - nenhuma das duas denúncias ainda está provada; apresentou-se várias vezes como engenheiro e economista, incluindo em ficha do TSE, sem ter registro profissional nos conselhos; em 2002 omitiu uma empresa na declaração de bens à Justiça Eleitoral (falha que não se constituía crime); apresentou-se como pai dos genéricos, do programa de combate à aids, em campanha para presidente também em 2002 (a lei dos genéricos foi desenvolvida por Jamil Haddad durante o governo Itamar Franco; o programa de combate e prevenção à aids vem desde o governo José Sarney). As denúncias mais graves não foram provadas, então não são consideradas. A questão de ser apresentado como engenheiro ou economista, ou se apresentar como criador de programas implementados por outros são mais ou menos graves. Pega mais é ter assinado carta de que cumpriria integralmente o mandato como prefeito de São Paulo e ignorado completamente depois. (--)

Alianças: apoios recebidos e dados (não apenas declarações, mas alianças mais formais ou com resultados mais concretos).
*Dilma: tem como principal aliado o fisiológico PMDB, mas também qualquer partido gostaria de ter o PMDB ao lado com sua máquna partidária; há outros partidos estranhos, mas nanicos; o PT tem lá sua porção de políticos mais do que suspeitos. (-)
*Marina: basicamente somente o próprio PV. (0)
*Serra: tem o DEM, partido que se diz ter estado no poder desde as caravalas, dali se apeados somente com a chegada do PT. (--)

Realizações: principalmente como agente político - leis importantes, projetos implementados, obras realizadas, maior peso às realizações em nível federal.
*Dilma: vendida como gerentona e mãe do PAC, mas o quanto ela é mesmo responsável por isso é bastante discutível. Foi importante, no entanto, no novo modelo de leilão de energia quando ministra de Minas e Energia. (+)
*Marina: à frente do ministério do Meio Ambiente viu-se bastante isolada no governo - especialmente tida como barreira às ações ditas desenvolvimentistas. Desenvolveu um plano de ação contra o desmatamento na Amazônia Legal - houve redução, mas o quanto isso se deveu ao plano e não às conjunturas econômicas também é discutível. (0)
*Serra: não é pai dos genéricos, mas foi em sua administração frente à pasta da Saúde no governo FHC que se implementou de fato o programa dos genéricos; como prefeito foi pífio, como governador, foi apagado. (++)

Programas de governo: as propostas, os objetivos - o que fazer, por que e como.
A conferir. Por enquanto só algumas ideias e, no máximo, diretrizes.

Afinidade ideológica: o quanto as ideias defendidas pelos candidatos refletem o que eu penso a respeito da política e da sociedade.
*Dilma: não estou completamente certo a respeito de sua visão, aparentemente tem agenda esquerdista, com ênfase no social e no papel do estado mais atuante na economia, mas parece encarar o meio ambiente mais como atravancamento. (+)
*Marina: visão social e ambiental amplamente condizentes, não parece ter uma ideia muito clara em termos econômicos para viabilizar o tal desenvolvimento sustentável. Pega, no entanto, a questão da homoafetividade (ela, por religião, é contrária, p.e., à união entre parceiros do mesmo sexo), eu não chego a ser pró-escolha, mas não sou pró-vida (no sentido de proibir o aborto e criminalizar a gestante). Essas diferenças são amainadas pelo discurso de tolerância - ao menos concede a realização de plebiscito -, mas não eliminadas. (-)
*Serra: aparentemente tem uma visão desenvolvimentista, não sei o quão aprofundada estão a questão social e ambiental. A fala sobre a Bolívia pareceu-me totalmente despropositada - sério mesmo, soou-me a um discurso direitista. (-)

Naturalmente as avaliações podem mudar com o tempo e com novas informações.

Obs: Não se interprete isso como declaração de voto. Há muita coisa para rolar ainda. É um quadro bem parcial no que se refere a informações. E, claro, totalmente subjetivo.

3 comentários:

Alessandra - Lain disse...

estou interessada na evolução da sua opinião. vamos ver o que muda até as eleições. =)

Carlos disse...

Vc apresentou, mas nao deu dua opniao. É Marina ou não, oras?!

none disse...

Oi, Alessandra,

Vamos ver, vamos ver. : )

Carlos,

Grato pela visita e comentário.

Como eu disse, não é uma declaração de voto.

Além disso, ainda falta a parte das propostas. (E tb as ponderações para cada item. Acho q honestidade deve ter peso 2, p.e., mas ainda não defini o resto.)

[]s,

Roberto Takata